Entrevista de emprego: 15 dicas para se tornar um bom recrutador

Para quem está em busca de uma recolocação no mercado de trabalho, a entrevista de emprego é uma das fases mais tensas do processo. Saber que as chances de conseguir ou não a tão sonhada vaga também depende das respostas que serão dadas, realmente, é algo que preocupa muitas pessoas.

No entanto, o recrutador também pode ter dificuldades nessa etapa e quando não elabora as perguntas certas, ou não conduz a entrevista adequadamente, corre sérios riscos de perder importantes talentos.

Por isso, separamos 15 dicas que vão ajudar você a montar um bom roteiro e, dessa forma, selecionar de maneira mais fácil os novos profissionais que irão compor a sua equipe. Continue a leitura e acerte em cheio!

A importância de uma boa entrevista de emprego

É bastante comum encontrar na internet dicas de como uma pessoa deve se preparar para uma entrevista de emprego. Desde a roupa que será utilizada no dia, passando pela postura e a forma como interage com os demais candidatos e recrutadores, tudo deve ser bem pensado e executado. No entanto, é preciso considerar essa preparação também para o recrutador, o que nem sempre acontece.

Muitas empresas ainda se posicionam de maneira errada na hora de recrutar novos talentos. Por serem detentoras das vagas, acreditam que o que perguntarem na entrevista de emprego, ou a forma que levarem o processo de admissão pouco importa. Afinal, o interesse é de quem está procurando emprego, certo?

Não é bem assim! Se preocupar em como conduzir uma entrevista de emprego é primordial para a imagem que se transmite da empresa. Aqui, vale lembrar que por mais que os candidatos estejam em busca de recolocação, somente um bom salário não basta para que eles aceitem a oferta.

Hoje em dia, especialmente por conta de geração millennials — ou geração Y— , que são pessoas nascidas entre 1979 e 1995, o mercado de trabalho mudou. A forma como são tratadas no ambiente corporativo, os benefícios que vão além de uma boa remuneração, a flexibilidade na hora de executar as tarefas, são apenas alguns dos pontos considerados por esses profissionais antes de assinar o contrato.

Assim, se o recrutador não se preocupa em realizar a entrevista de emprego da melhor forma possível, ou não se prepara adequadamente para ela, pode perder importantes talentos logo nesse primeiro contato.

Como fazer uma boa entrevista de emprego

Por tudo isso, assim como os candidatos precisam se preparar, o recrutador também deve se atentar a esse dia. Veja abaixo algumas dicas importantes que você pode seguir nessa etapa da contratação.

1. Prepare-se antecipadamente

Não basta estar com o currículo do candidato nas mãos e perguntar qual a experiência dele para a vaga que está tentando. Assim como você tem perguntas, ele também tem. Por isso, prepare-se para responder aos questionamentos ou mesmo se antecipar a essas questões.

Ter um bom conhecimento de todas as atividades pertinentes ao cargo, saber valores de salário e benefícios, horário de trabalho, tempo previsto de treinamento, entre outros detalhes, é essencial para tranquilizar o candidato e ainda passar uma imagem de organização e credibilidade sobre a empresa.

2. Busque informações sobre o candidato

Sabemos que dependendo da vaga e da empresa, o número de candidatos é bem alto. No entanto, é fundamental ter um método de análise prévia que permite identificar e selecionar aqueles que têm o perfil mais adequado.

Feito isso, o próximo passo é analisar mais a fundo o currículo e, quando possível, ir além dos dados apresentados nele.

O LinkedIn é uma ótima alternativa para obter mais informações e parâmetros para analisar o candidato. Algumas empresas verificam também outras redes sociais. Se for o seu caso, é importante ter muita cautela na análise e não tirar conclusões precipitadas sobre as postagens.

3. Analise a postura e a aparência

Especialmente quando as vagas são voltadas para atendimento ao público — como é o caso de setores como hotelaria, gastronomia e eventos— , além da experiência, a postura e a aparência do candidato é algo que conta muito. Por isso, uma boa entrevista de emprego deve começar com a análise desses pontos.

De acordo com o perfil da vaga, é importante verificar a postura do profissional, se ele possui algum vício ou hábitos considerados não saudáveis, bem como sua aparência e apresentação no dia da conversa.

Levantar seu estado de saúde e os motivos que o levaram a sair do emprego anterior, são outros pontos que ajudam a definir se essa é a pessoa certa para preencher seu quadro de funcionários.

4. Deixe o candidato confortável

Lembra que falamos que muitas empresas não se preocupam como a seleção de pessoal é feita? Pois é essencial se atentar a isso e se preocupar com a pessoa que está se candidatando para trabalhar na sua empresa.

Muitas estão há tempos sem conseguir uma boa vaga. Outras, ao verem quantos candidatos estão participando do processo de seleção, se sentem intimidadas. Ambos os casos contribuem para aumentar o nervosismo na hora da entrevista de emprego, e é papel do recrutador contornar esse quadro.

Fazer o candidato se sentir confortável contribui para que a conversa se desenvolva melhor e, com isso, você consegue obter mais informações sobre ele, algumas que podem até ser decisivas no momento da sua escolha.

Oferecer um copo de água, uma xícara de café, falar sobre algo aleatório como a temperatura ou previsão do tempo, são atitudes simples, mas que ajudam muito a reduzir o nível de estresse.

5. Tenha um roteiro de perguntas

Cargos iguais precisam de perguntas iguais durante a entrevista de emprego. Dessa forma, é possível avaliar os candidatos sob o mesmo olhar, sem beneficiar ou prejudicar ninguém.

Ter um roteiro de perguntas é importante para extrair as mesmas informações e ter bons dados para escolher o melhor profissional para a sua equipe.

Além disso, evite perguntas fechadas que geram dúvidas na elaboração das respostas — quando isso acontece, muitos candidatos ficam pensando o quê o recrutador gostaria de ouvir e acabam não sendo sinceros em seu posicionamento.

Faça um questionamento por vez, dê um tempo para o candidato responder e evite ‘cortá-lo’ durante a fala. Esses cortes, além de constranger, passa a imagem que a entrevista de emprego é apenas mais uma e ainda faz você perder a chances de ter informações valiosas sobre o profissional.

6. Mantenha uma boa comunicação

A entrevista de emprego nada mais é que uma conversa entre duas ou mais pessoas. Ou seja, é preciso ser uma via de mão dupla em que ambos os lados tenham chances de falar e expor suas ideias e posicionamentos.

Mas não é porque se trata de algo relacionado ao mundo corporativo que esse diálogo precisa ser frio e distante. Perguntar sobre a vida do candidato fora do ambiente de trabalho, mas sem ser invasivo, ajuda a quebrar o gelo.

Passatempos preferidos, interesses, hobbies, o que ele faz nos momentos de lazer, são informações que podem não estar diretamente ligadas à vaga, mas que ajudam a traçar o perfil desse profissional.

7. Seja flexível

Geralmente, quando um recrutador começa a fases das entrevistas, muitas pessoas serão analisadas. Além disso, há horários que precisam ser respeitados para que o cronograma seja cumprido sem comprometer a participação de ninguém.

Entretanto, não é raro a conversa sair um pouco do contexto e trilhar outros caminhos, especialmente quando entrevistador e candidatos têm pontos em comum. Se isso vier a acontecer com você, seja flexível, mas procure voltar ao foco quanto antes, sem parecer grosseiro ou expressar pressa.

8. Esteja disponível para ouvir

Por mais que tenham mais candidatos esperando para a entrevista de emprego e que haja muitos pontos a serem analisados em cada um deles, é fundamental ter tempo — e disposição — para ouvir cada pessoa.

Muitas vezes, uma simples pergunta pode trazer diversas informações importantes para o preenchimento da vaga. Quando o recrutador não desenvolve a habilidade de ouvir, pode perder detalhes de peso.

9. Procure ser natural

O ambiente corporativo pede uma postura mais formal, ainda mais nos primeiros contatos entre empresa e possíveis funcionários. Obviamente, muitos cargos não requerem tanto rigor das duas partes, mas o mínimo de profissionalismo é sempre indicado.

Por mais que precise se preparar para a entrevista de emprego, é importante que você se mantenha natural durante o processo, preservando sua personalidade e maneira de agir.

Lembre-se: geralmente as pessoas que chegam a essa etapa estão bastante nervosas, assim, se você adotar uma postura mais ‘robotizada’, a conversa pode não fluir como esperado.

10. Contorne os momentos de silêncio

Muitas pessoas são tímidas por natureza e, ao passarem por um processo de seleção, podem responder somente aquilo que lhe foi perguntado, sem estender muito a conversa.

Quando isso acontece, é comum ter momentos de silêncio entre um questionamento e outro. Evite que essa situação fique constrangedora aproveitando esses espaços para considerar as respostas do candidato, fazer alguma anotação, observação ou, ainda, permitir que ele tenha mais tempo para pensar se quer acrescentar algo à resposta dada.

11. Tenha cuidado com o direcionamento das perguntas

Dissemos anteriormente que é importante ter um roteiro de perguntas para direcionar melhor e de maneira mais justa a entrevista de emprego. Porém, é bastante comum, conforme a conversa vai fluindo, que novos temas entrem na pauta.

Nesses casos, é preciso que o recrutador tome muito cuidado com as perguntas que fará sobre esses assuntos que foram levantados. Por exemplo, é imprescindível evitar temas polêmicos ou preconceituosos, como religião, política e sexualidade.

Além de constranger o candidato, esse tipo de debate pode manchar a imagem da empresa e comprometer a seriedade do processo.

12. Evite falar de si mesmo

A entrevista de emprego é o momento perfeito para conhecer o profissional antes de colocá-lo efetivamente na sua equipe. Mas não são raros os casos em que o entrevistador acaba falando mais de si do que ouvindo sobre o candidato.

Muitos, na ânsia de comentar os pontos positivos da empresa, acabam contando toda a sua trajetória na organização, situações boas, de crescimento e até engraçadas, mas que nada vão acrescentar ao processo.

No final, descobrem que não levantaram as informações necessárias para escolher o melhor candidato, podendo perder bons profissionais.

13. Atente-se à linguagem não-verbal

O que o candidato expressa através da sua postura corporal também diz muito sobre ele, seu nível de interesse pela vaga e até o quanto está sendo honesto em suas respostas, e nem precisa ser psicólogo para identificar esses pontos.

Mexer muito no cabelo, sacudir constantemente as pernas, cruzar os braços durante a conversa, olhar constantemente para o relógio ou celular, são alguns indícios de que o profissional está desinteressado ou, no mínimo, desconfortável com a situação.

14. Fale sobre situações reais

No currículo, a maioria das pessoas são proativas, dinâmicas, não temem desafios e trabalham bem em equipe. Mas será que, na prática, todas essas habilidades são reais?

Após colher todas as informações necessárias para levantar o perfil do candidato, é interessante apresentar um problema real que pode facilmente ocorrer na função que está pleiteando. Peça para que o profissional diga o que ele faria naquela situação e analise sua atitude e postura frente ao conflito.

A resposta pode ajudar a identificar como ele se comportaria nas situações do dia a dia e se realmente tem as qualidades necessárias para ocupar a vaga.

15. Dê retorno a todos os candidatos

Por mais que o número de pessoas entrevistadas tenha sido alto, todas ficam a espera de uma resposta, mesmo que negativa. Por isso, ao finalizar todo o processo de entrevista de emprego e escolher o profissional, é essencial dar um retorno aos participantes.

Isso reforça a importância que a empresa dá ao tempo e interesse dispensados e cria a oportunidade de vínculos futuros, já que mantém a boa imagem da organização.

A entrevista de emprego serve tanto para conhecer melhor o candidato à vaga quanto para apresentar a ele um pouco mais sobre a empresa. Por isso, é preciso que o recrutador também esteja pronto para essa conversa.

As dicas dadas aqui, certamente, lhe ajudarão muito nessa etapa da contratação. Por isso, que tal compartilhar este conteúdo em suas redes sociais e ajudar outros empreendedores a se preparem também?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *